Galiciana-Biblioteca Digital de Galiza quer contribuír à comemoração do Dia das Letras Galegas 2019, dedicado a Antonio Fraguas Fraguas, com a criação de um novo micrositio que recolha o labor como articulista deste prolífico autor.

Antonio Fraguas foi historiador, etnógrafo, antropólogo e geógrafo. Todos seus esforços os dedicou a ampliar e difundir o conhecimento sobre a cultura galega. Com este fim, colabora desde muito jovem com a imprensa, tanto em revistas especializadas em seus campos de estudo, como nos grandes diários de âmbito geral de nossa comunidade.

Desde seus inícios, a secção de Hemeroteca de Galiciana-Biblioteca Digital de Galiza constitui o grande projecto desta biblioteca digital. Seu objectivo é, e segue sendo, conservar as publicações periódicas galegas que correm o risco de desaparecer, assim, hoje em dia temos como resultado uma importante colecção de jornais e revistas em formato digital, que não deixa de crescer.

Para elaborar o micrositio de Antonio Fraguas realizou-se uma casca das publicações periódicas que se encontram digitalizadas em Galiciana-Biblioteca Digital de Galiza. O resultado dessa casca é uma colecção de 68 artigos pertencentes a publicações como La Noche, que contribui 61, todos escritos em castelhano a excepção de um, A man do cruceiro, no que conta a visita de Castelao a Loureiro, Cotobade, terra natal de Fraguas, para desenhar suas cruceiros. No El Pueblo Gallego publicou 3 artigos, entre eles o primeiro que Antonio Fraguas escreve na imprensa, o 8 de outubro de 1927, dedicado ao escultor Uxío Souto.

Também fica recolhido neste micrositio o primeiro trabalho de Fraguas sobre arqueologia, Mámoas do Saviñao, que publica em 1930 em Arquivos do Seminario de Estudos Galegos, junto a Florentino López Cuevillas e María Pura Lorenzana. No número de outubro de 1955, dedicado a Lugo, da revista Vida Gallega, publica um artigo sobre o rio Miño e suas lendas, cuja digitalização oferecemos neste novo micrositio. Finalmente, ficam recolhidos também dois artigos de 1969 e 1974 que Fraguas escreveu para os programas das festas em honra ao Apóstol, celebradas em Santiago de Compostela.

Tradução oferecida pelo Gaio.